Loading...

quinta-feira, 10 de março de 2011

SURGIMENTO DA INFORMATICA

SURGIMENTO

Desde muitos e muitos anos atrás, já existiam máquinas capazes de efetuar cálculos. Essas máquinas eram tetra-tetra-tetra avôs dos computadores modernos e eram chamadas de CALCULADORAS. Eram na verdade réguas de calcular, também chamadas de ábacos. Eram muito usadas pelos árabes e chineses. No início do século 20 já eram comuns as calculadoras mecânicas e elétricas. As calculadoras elétricas eram baseadas em um pequeno dispositivo elétrico, chamado de RELÉ. Os relés tinham aproximadamente o tamanho de uma caixa de fósforos. Máquinas calculadoras construídas com relés eram muito grandes, pois para construí-las eram necessários centenas de relés. Figura 1 - Relés As calculadoras elétricas, construidas com relés, eram muito melhores que as mecânicas. Eram mais rápidas e mais difíceis de apresentar defeitos. E verdade, essa estória de “erro do computador” já existia na época. As calculadoras mecânicas apresentavam muitos defeitos, da mesma forma como ocorre com qualquer máquina mecânica. As calculadoras a relé também apresentavam defeitos, mas eram muito mais raros. Um exemplo de máquina que ainda é construída com relés são os elevadores. Será que você já viu um elevador enguiçado, ou parando no andar errado, ou se recusando a abrir a porta? Provavelmente é culpa dos relés. Resumindo, as calculadoras existentes até mais ou menos 1930 podiam ser de dois tipos:
·Mecânicas: Lentas, apresentavam muitos defeitos
·Elétricas: Um pouco mais rápidas, e apresentavam defeitos, mas menos que as mecânicas
Já nos anos 30 existiam as válvulas eletrônicas, muito usadas em rádios. Um daqueles antigos rádios dos “tempos da vovó” possuíam mais ou menos uma dúzia de válvulas eletrônicas. As válvulas funcionavam como relés mais sofisticados. Eram muito mais rápidas que os relés, mas tinham o inconveniente de durarem pouco tempo. Após cerca de 1000 horas de uso, as válvulas “queimavam”, assim como ocorre com as lâmpadas. Era entâo necessário trocar a válvula queimada. Se um daqueles enormes “rádios da vovó” tinham urna dúzia de válvulas, imagine o tamanho que deveria ter um computador eletrônico, com centenas, ou até milhares de válvulas.
Nos anos 30 e 40 foram construídos vários computadores, ainda experimentais, utilizando as válvulas. Esses computadores eram carissimos e não eram usados como hoje em dia, para aplicações comerciais. Eram usados para aplicações militares. como por exemplo, cálculos da balística para lançamentos de projéteis. Esses computadores não eram tampouco fábricados em série. Cada modelo era um “filho único” da sua categoria. Eram na verdade jeringonças eletrônicas. Alguns eram tão grandes que mediam do tamanho de um ginásio de esportes. Dentro da equipe de pessoas que trabalhavam com esses computadores, havia sempre um sujeito que carregava um carrinho cheio de válvulas. Passava o dia inteiro procurando e trocando válvulas queimadas. Para que uma válvula queimada não afetasse o resultado dos cálculos, esses computadores repetiam cada operação três vezes, por três circuitos diferentes, e "a maioria vencia". Se uma válvula queimasse durante uma operação, um dos três resultados estaria errado, mas os outros dois estariam corretos. Figura 2 - Válvula eletrônica Ao ter contato com os modernos computadores é muito engraçado saber como eram precárias as condições de funcionamento daqueles velhos computadores até meados dos anos 50. Figura 3 - FOTO DO COMPUTADOR ENIAC Ainda nessa época, os computadores eram chamados de “calculadoras”. Um dos famosos computadores da época era chamado de ENIAC (Electronie Numerie Integrator and Calculator). Computadores transistorizados Uma grande melhoria em todos os aparelhos eletrônicos ocorreu após a invenção do TRANSISTOR. Esses pequenos componentes serviam para substituir as válvulas, mas com muitas vantagens. Eram muito menores, consumiam menos corrente elétrica e duravam muitos anos. Tornou-se possível a construção de computadores dc menor tamanho, mais rápidos, mais confiáveis e mais baratos. Já no final dos anos 50, todos os computadores eram construídos com transistores. Também passaram a serem fábricados em série. Cada computador não era mais um “filho unico" , e sim, fazia parte de uma série de máquinas iguais. Esses computadores ainda custavam milhões de dólares, mas passaram a ser usados em aplicações não militares: ·Aplicações comerciais em grandes empresas
·Controle dc processos indústriais
A indústria de computadores começou a crescer, dando origem ao desenvolvimento dos grandes gigantes da informática mundial, como a IBM. Figura 4 - transitores Realmente os transistores causaram um grande impacto em todos os aparelhos eletrônicos, como rádios, TVs, vitrolas e tudo o mais que antes utilizava válvulas. Mas foi nos computadores que esses pequenos componentes tiveram a maior repercussão. Isso não é muito difícil de entender. Uma TV ou um rádio trarisistorizados não eram tão pequenos em comparação com os modelos a válvula. Mas no caso dos computadores, essa miniaturização era muito mais acentuada, já que os computadores a válvula eram verdadeiros gigantes. Computadores que ocupavam um salão inteiro, podiam ser construídos a transistor e ficavam do tamanho de uma estante. Computadores a válvula que ocupavam um prédio inteiro, podiam ser construídos com transístor, e passivavam a ocupar apenas um andar Assim foram os computadores ate in mais ou menos 1965. Circuitos integrados Ao mesmo tempo que os computadores transistorados eram cada vez mais utilizados em todo o mundo, um outro grande avanço tecnológico ocorria: A corrida espacial. Americanos e soviéticos lançavam seus foguetes rumo ao espaço. A miniturização ainda maior, computadores mais poderosos ou então mais leves (ou ambas as coisas) poderiam ser embarcados nos foguetes. A NASA (Agência Espacial Norte-Americana) gastou bilhões de dólares com seu programa espacial, contratou empresas fabricantes de transitores para que realizassem uma m miniaturização ainda maior. Uma dessas empresas, até hoje uma líder mundial em microeletrônica, é a TEXAS INSTRUMENTS. Foram então criados os primeiros CIRCUITOS INTEGRADOS, também chamados de CHIPS. Basicamente, um circuito integrado é um pequeno componente eletrônico que possuí em seu interior, centenas, ou até milhares de transistores. Enquanto um transistor é equivalente a uma válvula e tem um tamanho muito menor, um CHIP dos mais simples tem aproximadamente o mesmo tamanho que um transistor comum, mas seu interior existem, na verdade, centenas de transistores. Aqueles velhos CHIPS dos anos 60 tinham em seu interior, dezenas ou centenas de transistores. Já o microprocessador PENTIUM, um moderno CHIP dos anos 90, contém em seu interior, nada menos que 3.500.000 transitores! Os CHIPS podem ser divididos em várias categorias, depedendo da quantidade de transitores que existem em seu interior: SSI - Short Scale of Integration, ou Integraçâo em Baixa Escala. Esses chips contém em seu interior apenas algumas dezenas de transistores.
MSI - Medium Seale of Integration, ou Integraçào em Média Escala. Esses chips contém algumas dezenas de transistores.
LSI - Large Scale of Integration, ou lntegraçào em Alta Escala. Contém em seu interior, alguns milhares de transistores.
VLSI - Very Large Seale of lntegration, ou lntegraçào em Escala Muito Alta. Esses chips contém da ordem de dezenas de milhares de transistores, ou mais.
Nos computadores modernos. quase todos os chips usados são do tipo LSI ou VLSI. Os chips SSI e MSI são ainda usados em pequenas quantidades, normalmente para auxiliar os chips LSI e VLSI.

Nenhum comentário: